Conheça os benefícios da música para os bebês

É comum nas casa onde tem bebês e crianças pequenas tocar músicas infantis, dvds de canções e desenhos, mas muitas vezes isto é utilizado como uma estratégia para deixar a criança ocupada, distraída. Mas os benefícios da música vai muito além da distração.

Nas últimas décadas, a comunidade científica mostrou grande interesse em investigar os efeitos benéficos da música em bebês e crianças. A iniciação musical pode começar na própria casa. As crianças podem aprender sons e ritmos, simplesmente ouvindo músicas de crianças ou pais batendo palmas enquanto a música toca.

Cantar músicas para bebês e ouvir música com eles, além de produzir mudanças no nível fisiológico, desenvolve um forte vínculo afetivo, o que estimula sua inteligência emocional. Do mesmo modo, no nível psicológico, desperta, estimula e desenvolve emoções e sentimentos.

Os estudos refletem que a música favorece a capacidade das crianças de atenção e concentração, aumentando assim seu desempenho na escola. A música estimula memória, análise, síntese e raciocínio, e, portanto, a aprendizagem.


A música tem o dom de juntar as pessoas. A criança que vive em contato com a música aprende a coexistir de maneira melhor com outras crianças, estabelecendo uma comunicação mais harmoniosa. Conheça os quatro principais benefícios da música para as crianças.

1. Segurança: segurança emocional, confiança, porque se sentem entendidas ao compartilhar músicas e imersas em um clima de ajuda, colaboração e respeito mútuo.

2. Aprendizagem: o estágio da alfabetização infantil é mais estimulado com a música. Através das canções das crianças, em que as sílabas são rimadas e repetitivas, e acompanhadas de gestos que são feitos ao cantar, a criança melhora sua maneira de falar e entender o significado de cada palavra. E assim, será alfabetizado de forma mais rápida.

3. Concentração: a música também é benéfica para a criança em termos de poder de concentração, além de melhorar sua capacidade de aprender em matemática. A música é pura matemática. Além disso, facilita as crianças aprendendo outras línguas, aumentando sua memória.

4. Expressão corporal: com a música, a expressão corporal do filho é mais estimulada. Eles usam novos recursos para adaptar seu movimento corporal aos ritmos de diferentes trabalhos, contribuindo desse modo para o fortalecimento do controle rítmico de seu corpo. Através da música, a criança pode melhorar sua coordenação e combinar uma série de comportamentos. Deite de costas e mova-os para que ele possa dançar enquanto canta para ele. Você pode carregar e abraçar no seu colo cantando ritmos de outras crianças.

Anúncios

Viagens longas – como evitar o tédio

Estamos no verão e o fim de semana do carnaval está chegando, nesta época é normal as famílias pegarem a estrada e dar uma fugida da rotina da cidade e relaxar em alguma praia – ou festejar – . Então surge uma questão: como deixar os pequenos entretidos durante a viajem?

Esta é uma questão comum e complicada, ninguém quer viajar, principalmente de carro, com  uma aos berros e gritos, porque sabemos muito bem que isso atordoa e pode tirar a concentração de quem está no volante.

Neste post vamos dar algumas dicas para melhorar e evitar problemas em sua viagem.


Bem-estar nas viagens

Existem alguns fatores que podem interferir no bem-estar e na harmonia de sua viagem,  por isso é muito importante saber separar e organizar as malas, escolher bem os materiais que irão na mala e os que estarão na bolsa de mão, às vezes a solução de todos os problemas pode estar  aí, dentro da sua bolsa.

 

COMODIDADE

Um dos principais fatores que podem influenciar em sua viagem é a comodidade. Estar horas na mesma posição pode ser extremamente incômodo se você não tiver se preparado bem para isso, portanto, se atente à alguns detalhes:

– Assento confortável;

–  Roupas cômodas;

– Temperatura agradável;

– Almofada/travesseiro para poder dormir;

– Estar com os jogos preferidos.

 

ENTRETENIMENTO

É compreensível, que, para uma criança que está sempre brincando, ficar horas em um carro ou avião pode ser uma tarefa muito difícil e chata, mas é nessas horas que agradecemos por existir alguns aliados, como a tecnologia.

– Celulares e outros dispositivos serão seu grande aliado neste caso, nada como colocar um vídeo, filme ou música para deixar o pequeno hipnotizado;

– Jogo eletrônicos também farão o seu filho passar horas sem perceber a viagem;

– Caso a estratégia de usar os eletrônicos não dê mais certo, nada como o bom e velho livro, neste caso você pode criar também atividades e jogos para manter o seu filho entretido.

 

COMIDA

Sabemos muito bem a fome deixa qualquer um estressado, então outra dica é se organizar e planejar um lanche durante a viagem, esta idéia pode evitar gritos e choros.

Se você não pretende alongar mais ainda a viagem, levar sanduíches, biscoitos, suco e água é uma excelente opção. Caso prefira, você pode planejar uma (ou mais) parada em algum estabelecimento que goste para comer, e assim, aproveitar para esticar um pouco as pernas e ir ao banheiro.



O importante na viagem e família e a diversão, aproveitar momentos únicos e ainda conhecer lugares novos.
Não tenha pressa de chegar ao destino final, viaje com calma e tranquilidade, nenhum destino vale mais do que o bem-estar de sua família.

BOA VIAGEM E FELIZ CARNAVAL!

Conheças os benefícios da natação para o seu bebê

A água faz com que os bebês se sintam em liberdade e “em casa”, já que para eles é um ambiente natural, pois ficaram nove meses submersos no ventre da mãe.

A natação para bebês na verdade pouco tem a ver com aprender a nadar, já que eles são muito pequenos para ter autonomia e realizar os movimentos da natação. O primeiro passo é fazer com que a criança  aprenda a se ambientar na água, a movimentar-se e brincar.

 

Com que idade se pode começar?

Normalmente os cursos são fornecidos a partir do sexto mês, mas antes deste período você pode praticar com seu filho em uma banheira, com uma temperatura de água agradável, sempre o segurando e supervisionando, assim ele irá se acostumando com o contato com a água.

O curso deve ser regido por um especialista na área e o bebê deve sempre entrar na água acompanhado de um dos pais.


Benefícios para a criança

 

  • Melhora a coordenação, o equilíbrio e a noção de espaço;
  • Melhora a resistência do bebê, trazendo benefícios cardiovasculares;
  • Os exercícios realizados na água em uma temperatura agradável, relaxa a criança e aumenta o seu apetite;
  • Regulariza o sono;
  • Os exercícios fortalecem a musculatura, favorecendo o desenvolvimento precoce de habilidades psicomotoras, como engatinhar e caminhar.

 

Desenvolvimento psicológico

 

  • Segurança: o bebê se sente seguro, pois sabe que sua mãe ou seu pai está cuidando dele, e este confiança aumenta os laços familiares;
  • O bebê desenvolve o sentido de autoconfiança e liberdade, pois pode se movimentar pela água;
  • Esta confiança em si mesmo o ajudará na comunicação e convívio com outras crianças.

O contato com outras crianças, ajudará o bebê a iniciar sua socialização, ele  aprenderá a compartilhar brinquedos e a brincar junto a outras crianças.

Problemas para dormir na noite? Temos a solução!

Um dos principais desafios para os pais de crianças pequenas é a hora de botar o filho para dormir. Mas calma, isso acontece com muitos pais e aqui vamos lhe ajudar a ter uma noite tranquila de sono.


Muitas vezes, tudo que queremos  é chegar em casa depois de um longo dia de trabalho e descansar em uma cama confortável, mas o seu desejo pode não ser compatível com o do seu filho, já que ele quer ficar acordado (e muitas vezes brincar).

É comum que bebês durmam bastante durante o dia e passem partes da noite/madrugada acordados, eles ainda estão se adaptando a nossa rotina, o sono mais regulado começa a partir dos 6 meses, normalmente.

A principal dica é: Criar uma rotina



É bom você deixar a luz solar entrar no ambiente enquanto ele estiver dormindo durante a tarde e manter o ambiente mais escuro quando for de noite. Repita este procedimento com regularidade. Esta rotina vai fazer com que seu filho possa começar a diferenciar o dia da noite.


Não alimente o bebê momentos antes de dormir.

Quando a hora de dormir estiver se aproximando, é bom você começar o “ritual do sono”, afaste o bebê da sala, que é normalmente o ambiente mais movimentado e barulhento da casa, dê um banho quentinho no seu pequeno, fazer uma massagem relaxante é um ótimo conselho, ponha um pijama, dô o jantar, acalme ele um pouco e ele estará pronto para dormir.

Conforme seu filho for crescendo, está rotina terá que ir se adaptando para as horas de sono recomendadas para cada idade. Neste caso você terá que estimular mais brincadeiras e atividades durante o dia, evitando este sono na parte da tarde.

Outro detalhe que pode fazer a diferença para uma ótima noite de sono, sua e do bebê, é a hora de botar a criança no berço. Se a criança pegou no sono em seus braços ou no seu quarto e no meio da noite acordar em uma outra cama, em um outro ambiente, longe da mãe, é normal a criança estranhar e se sentir insegura e começar a chorar.
A partir do sexto mês, você pode acostumar a criança a dormir sozinha. Ponha ela acordada no berço, fique por perto, cante uma canção de ninar e saia do quarto, assim, ela estará calma, e pegará no sono. Caso ela acorde na madrugada ela estará no mesmo ambiente, evitando o susto.

Brinquedos que ajudam no desenvolvimento do seu bebê

 

Brincar é uma atividade fundamental para o desenvolvimento da criança, é assim que ela vai criar suas primeiras percepções do mundo que a rodeia, conhecendo formas, cores, texturas, objetos e suas funções. É também, nas brincadeiras, que o pequeno irá aprender a se relacionar e criar os primeiros vínculos emocionais com outras crianças.


É comum vermos crianças brincando, muitas vezes esta é uma forma de “escape” para os pais, deixando a criança entretida enquanto eles podem realizar outras atividades. Porém, os brinquedos são mais que entretenimento, eles podem definir o futuro profissional de seu filho. “O cérebro se desenvolve desde o nascimento até a vida adulta. Os genes fornecem o projeto básico para esse progresso, mas as experiências dos primeiros anos de vida afetam o modo como ele é colocado em ação. Se elas são positivas, felizes, a arquitetura do cérebro da criança constrói uma fundação forte para o aprendizado, o comportamento e a saúde. A brincadeira é uma dessas experiências basilares, e os bebês já são capazes de reconhecê-la poucos dias depois do nascimento”, explica o pediatra Jack P. Shonkof, diretor do Centro de Desenvolvimento Infantil da Universidade de Harvard (EUA).

 

Escolher o brinquedo certo para a idade do seu filho é muito importante para que ele se adapte a suas capacidades e habilidades.

Para lhe ajudar, criamos uma lista com os jogos ideais para cada fase do seu filho.

ATÉ 2 ANOS
Nesta fase, é importante estimular os sentidos do bebê, suas percepções sensoriais (olfato, paladar, som, tato e visão). A criança aprenderá sobre tamanhos, cores, formas, texturas.
Brinquedos grandes, coloridos, de encaixar e chocalhos são os recomendados.


A PARTIR DOS 36 MESES
As crianças começam a desenvolver sua criatividade e a fantasia, um brinquedo arredondado vira um telefone, por exemplo, e ela começará a imitar gestos dos pais e pessoas próximas. Nesta época brinquedos que o ajudem a montar seu mundo imaginário é importante.


Deve-se estimular as atividades corporais, desenvolvendo, assim, os movimentos. Brincar de bola, brinquedos infláveis, carrinhos de arrastar e uma ótima opção.

 

DE 5 A 7 ANOS

Esta é a fase da criação, deve-se estimular as habilidades manuais, que, além de ajudar na coordenação, o ajudará em sua criatividade. Abuse dos brinquedos de construir e montar, como Lego, por exemplo.

Brinque com jogos de que estimule a memória e cálculos mentais, tais como, jogo de memória, tabuleiro, jogos eletrônicos.

A PARTIR DOS 7 ANOS

Agora, seu filho já tem consciência da sociedade que vive e entende as regras de convivência, nesta fase é extremamente importante a interação e convívio com outras crianças, onde ele possa interagir e se sentir aceito em um grupo.
Uma ótima forma de se fazer isso é iniciar atividades esportivas.

CURSO 2 DE DEZEMBRO

A gestação é um momento mágico para todo casal, mas quando percebemos que em pouco tempo seremos responsáveis por um lindo bebê é comum surgirem dúvidas e quanto mais próximo do parto, mais dúvidas surgem.

Pensando em lhe ajudar e preparar o melhor possível, o Nasce desenvolve cursos para te auxiliar e tornar mais confiante na hora em que seu filho chegar. É o caso do curso que acontecerá dia 2 de dezembro.

Confira nosso cronograma!

 

CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO – 9h às 12h

Este workshop oportuniza aos futuros pais e mães adaptarem-se aos seus novos papéis, receberem e revisarem informações acerca da experiência do nascimento e cuidados com o bebê, tornando-os mais confiantes em suas habilidades como pais e melhor sintonizados com as necessidades desse novo ser.

 

Temas abordados:

– Cuidados imediatos ao nascimento (sala de parto)

– Acolhendo e compreendendo as necessidades do bebê

– Aprendendo na Prática: higiene e conforto (banho, troca de fraldas e cuidados com o coto umbilical)

OFICINA DE PAPINHAS – 14h às 17h

Após os 6 meses do seu bebê é recomendado introduzir a alimentação complementar. E, para tirar todas as suas dúvidas sobre este momento, as nutricionistas Betina Ettrich e Gabriela Penter, desenvolveram a Oficina de Papinhas.

 

Temas abordados:

– Recomendações sobre a introdução da alimentação

– Como preparar uma papinha saudável, gostosa e nutritiva

– Ingredientes, técnicas e receitas

 

Como me inscrevo?

Inscrições e mais informações pelo telefone: (51) 3334 4503.

 

Onde acontecerá o curso?

Nasce Centro de Atendimento à Gestante – Rua Gustavo Schmidt, 580, Três Figueiras – Porto Alegre/RS.


Esperamos por você!

Fimose no bebê

A fimose se trata de uma condição bem comum nos primeiros anos de vida do menino, onde a pele do prepúcio, cobertura de pele que cobre o pênis, nasce grudada na glande, fechando o mesmo.

Quase 100% dos bebês de sexo masculino, nascem com fimose e, esse quadro naturalmente muda conforme a criança vai crescendo e essa “pele” vai desgrudando.

O quadro da fimose é completamente natural e temporário, porém, quando ele não some até o final da infância, um médico especialista deve ser procurado para evitar problemas à saúde ao decorrer da vida do homem.

Até o primeiro ano de vida, a maioria das crianças não apresentam mais fimose, ou seja, a pele do prepúcio já desgrudou completamente da glande. No entanto, essa retração pode ocorrer até os três primeiros anos de vida do bebê.

Se neste período de três anos para frente não seja notada alteração no quadro, rotula-se a Fimose Verdadeira e, neste caso, a intervenção cirúrgica é comum entre os 7 e 10 anos do menino.

É importante lembrar que exercícios de retração da pele à força que algumas mamães fazem para que a fimose desapareça podem causar microtraumatismos, dor, inflamações e até sangramentos. Isso pode piorar a fimose já que a cicatriz das lesões leva a um estreitamento maior do anel do prepúcio.

Icterícia no recém-nascido

A icterícia aparece no bebê saudável quando o sangue fica com excesso de uma substância chamada bilirrubina, causando a pele amarelada do recém-nascido.

Os recém-nascidos tendem a ter níveis de bilirrubina mais elevados porque possuem hemácias extras no corpo, e seu fígado ainda não consegue metabolizar o excesso de bilirrubina.

Mais de 50 por cento dos bebês saudáveis e absolutamente normais ficam com a pele amarelada nos primeiros dias depois de nascer. Se isso acontecer com seu bebê, não é preciso se apavorar, mas é preciso falar com o pediatra.

No caso de um bebê nascido depois de 37 semanas de gravidez, dentro de uma semana a cor natural deve voltar e, em bebês prematuros, pode demorar um pouco mais.

Em casos mais raros, recém-nascidos com icterícia podem sofrer danos neurológicos, mas isso só acontece quando os níveis de bilirrubina ficam extremamente elevados.

O tratamento é feito com fototerapia – o bebê é colocado sob luzes fluorescentes que ajudam a metabolizar a bilirrubina, para que ela seja excretada pelo fígado. A criança é colocada numa espécie de bercinho de luz, sem roupa, com os olhos cobertos por uma máscara protetora.

 

Refluxo em bebês

O refluxo acontece quando uma válvula que conecta o esôfago ao estômago, chamada esfíncter, ainda não amadureceu o suficiente e não fecha corretamente. Isto permite que o conteúdo do estômago volte para o esôfago, em direção à boca.

Cerca de 40 por cento de todos os bebês apresentam algum tipo de refluxo, porém,  apenas uma pequena porcentagem se torna um problema sério e persistente.

O refluxo pode ser classificado como um incômodo temporário, pois geralmente, melhora à medida que o aparelho digestivo do bebê amadurece.  

Alguns fatores contribuem para o refluxo ser algo tão frequente em bebês, como o fato de ficarem deitados a maior parte do tempo e ter uma dieta composta apenas por líquidos. Bebês que nasceram prematuros também tem maiores chances de ter refluxo.

 O bebê pode regurgitar ou golfar um pouco de leite depois de mamar ou até acabar vomitando de vez em quando, isso é comum, mas em alguns casos, no entanto, regurgitam em grande quantidade, chegando a afetar seu ganho de peso, causando dores de garganta e até problemas respiratórios, o que já indica um quadro bem mais sério de refluxo.

Se você observar que o bebê não está ganhando peso, chora após a mamada, estiver vomitando com frequência e mostrando desconforto na barriga e garganta, a visita ao médico deve se tornar urgente.

O diagnóstico do refluxo pode ser apenas clínico, por isso, indicamos que leve a consulta uma espécie de relatório do refluxo do seu filho, relatando por exemplo a hora que ele mama, quantas vezes e quais são as reações após.

É sempre importante ficar bem atenta aos bebês com refluxo, principalmente com o seu ganho de peso, procurando um médico que irá auxiliar em um tratamento para aliviar o desconforto do bebê. 

Volume muito alto pode prejudicar a audição do bebê

Quando a família aumenta, ter uma vida mais calma e livre de muita agitação é essencial para o bebê, pois além de ficar mais calmo evita problemas auditivos que podem estar relacionados a volumes muito altos ao seu redor.

O sistema auditivo é um órgão sensorial extremamente delicado e passível de lesões se for muito carregado, principalmente em bebês, que têm uma sensibilidade auditiva muito apurada. A célula ciliada do ouvido interno do bebê sofre com o ruído excessivo e isso pode acabar levando à sua destruição.

Embora não exista uma forma de diferenciar a audição infantil da adulta, os danos causados pelo volume muito alto com certeza são mais preocupantes nos bebês.

Especialistas dizem que, quanto mais cedo acontece uma lesão, mais tempo a pessoa carrega durante a vida, isso porque esse prejuízo é irreversível.

Não existe medicação ou cirurgia capaz de consertar. Por conta disso, acaba sendo muito grave uma lesão desse nível em um uma criança ainda tão nova, sendo necessário em muitos dos casos, o uso do aparelho auditivo.

Cuidar para que seus filhos não fiquem expostos a sons muito altos, seja por pouco ou muito tempo, é importante para garantir que eles tenham uma boa audição, evitando sempre lugares muito barulhentos, como festas com música altas e barulhos de trânsito intenso.

Se for inevitável fugir de locais com barulho excessivo, o ideal é proteger os ouvidos da maneira certa. Muitos pais tendem a usar o algodão para tapar o canal auditivo, mas isso não garante a vedação necessária do som.

Uma opção é usar fones de ouvido de boa qualidade que preservam a audição da criança de forma que o incômodo diminua. Lembrando que, assim que o bebê apresentar algum desconforto auditivo, a visita ao médico é indispensável.

%d blogueiros gostam disto: