Viagens longas – como evitar o tédio

Estamos no verão e o fim de semana do carnaval está chegando, nesta época é normal as famílias pegarem a estrada e dar uma fugida da rotina da cidade e relaxar em alguma praia – ou festejar – . Então surge uma questão: como deixar os pequenos entretidos durante a viajem?

Esta é uma questão comum e complicada, ninguém quer viajar, principalmente de carro, com  uma aos berros e gritos, porque sabemos muito bem que isso atordoa e pode tirar a concentração de quem está no volante.

Neste post vamos dar algumas dicas para melhorar e evitar problemas em sua viagem.


Bem-estar nas viagens

Existem alguns fatores que podem interferir no bem-estar e na harmonia de sua viagem,  por isso é muito importante saber separar e organizar as malas, escolher bem os materiais que irão na mala e os que estarão na bolsa de mão, às vezes a solução de todos os problemas pode estar  aí, dentro da sua bolsa.

 

COMODIDADE

Um dos principais fatores que podem influenciar em sua viagem é a comodidade. Estar horas na mesma posição pode ser extremamente incômodo se você não tiver se preparado bem para isso, portanto, se atente à alguns detalhes:

– Assento confortável;

–  Roupas cômodas;

– Temperatura agradável;

– Almofada/travesseiro para poder dormir;

– Estar com os jogos preferidos.

 

ENTRETENIMENTO

É compreensível, que, para uma criança que está sempre brincando, ficar horas em um carro ou avião pode ser uma tarefa muito difícil e chata, mas é nessas horas que agradecemos por existir alguns aliados, como a tecnologia.

– Celulares e outros dispositivos serão seu grande aliado neste caso, nada como colocar um vídeo, filme ou música para deixar o pequeno hipnotizado;

– Jogo eletrônicos também farão o seu filho passar horas sem perceber a viagem;

– Caso a estratégia de usar os eletrônicos não dê mais certo, nada como o bom e velho livro, neste caso você pode criar também atividades e jogos para manter o seu filho entretido.

 

COMIDA

Sabemos muito bem a fome deixa qualquer um estressado, então outra dica é se organizar e planejar um lanche durante a viagem, esta idéia pode evitar gritos e choros.

Se você não pretende alongar mais ainda a viagem, levar sanduíches, biscoitos, suco e água é uma excelente opção. Caso prefira, você pode planejar uma (ou mais) parada em algum estabelecimento que goste para comer, e assim, aproveitar para esticar um pouco as pernas e ir ao banheiro.



O importante na viagem e família e a diversão, aproveitar momentos únicos e ainda conhecer lugares novos.
Não tenha pressa de chegar ao destino final, viaje com calma e tranquilidade, nenhum destino vale mais do que o bem-estar de sua família.

BOA VIAGEM E FELIZ CARNAVAL!

Anúncios

Recém-nascido, bebê ou criança: como devo chamá-lo?

Para as mães todo filho é um “bebê”, mas há uma nomenclatura correta para chamá-lo conforme a fase e os aprendizados do seu filho. Logo depois que o seu filho nasce há uma terminologia que determina esse tempo como os “minutos de ouro”, isso porque muitas das dificuldades pelas quais o bebê pode passar logo após o nascimento devem ser resolvidas ainda nos primeiros minutos de vida. Neste período a nomenclatura correta empregada é de recentemente nascido. Após estes primeiros minutos, você pode chamar o seu filho de recém-nascido por 27 dias.


recem nascido

Passados 28 dias, ele já será um bebê, ou, no termo correto, lactente. Neste período, o pequeno já conseguirá erguer um pouco a cabeça quando estiver de bruços em uma superfície plana, poderá focar um rosto e, talvez, reagir a uma campainha ou som mais alto.
É nessa fase que começa todo o desenvolvimento motor e comportamental do seu filho, que deve seguir até os 2 anos, período estipulado para a amamentação, por isso o nome lactente.
Depois dos 2 anos de idade o bebê torna-se uma criança. Forte, esperto e curioso para descobrir o mundo; é nessa idade que começa o pleno desenvolvimento do seu filho, ele passará a distinguir o certo e o errado por meio de olhares e sinais dos pais, ele se torna mais sociável e quer ter o contato com outras crianças, além das vontades e desejos.

5 tipos de dores de barriga em crianças e como identificar

Dor de barriga é um dos motivos mais frequentes de choro nos bebês  e nas crianças. Saber identificar o motivo pode evitar idas desnecessárias ao pediatra e podem ser resolvidas em casa mesmo.

Mas para os pais, muitas vezes é difícil identificar e saber o que está acontecendo e o coração na mão por ver seu pequeno em prantos faz correr ao médico.

1363427_16057933

Confira quais são os principais motivos causadores de dores de barriga e como agir em cada momento.

1) Cólica por gases: ocorre por imaturidade do sistema digestivo nos bebês e, nas crianças, por alimentos que provocam gases. Os recém-nascidos movem as pernas e choram. Para as maiores, pergunte se a dor muda de lugar na barriga.

O que fazer? Movimentar as pernas e massagear o abdômen do bebê ajuda, e as crianças podem andar um pouco. Além disso, você também  deve ficar atenta com a alimentação.

2) Exagero de comida: comum em crianças, o resultado do exagero de comidas, como doces e salgadinhos, causa dores e pode evoluir para diarreias e vômitos. Como o corpo precisa expelir o que não fez bem, dê bastante água para evitar desidratação.

3) Vírus e infecções: quase sempre acompanhadas de febre, pode causar vômitos e indisposição. O mal estar dura, em média, três dias, e se persistir, procure um médico.

4) Ansiedade e medo: comum em momentos que antecipam alguma mudança na vida das crianças: aniversários, primeiro dia de aula, viagens, etc. Avalie se seu filho está passando por uma situação estressante e procure conversar com ele sobre isso. Distrair a criança para ela deixar de lado esses pensamentos pode ajudar a passar a dor.

5) Intestino preso: se o cardápio for pobre em verduras e frutas, esse pode ser o resultado, a criança vai menos ao banheiro e pode ficar com a barriga inchada. Nesse momento, é hora de ir à feira e reavaliar a geladeira!

Fonte: Revista Crescer

%d blogueiros gostam disto: