Leite materno: analgésico natural

Que o leite materno é o melhor alimento pro bebê nós já sabemos, mas o que muitos não sabem é que  pode ser o analgésico mais eficiente também.

Estudos comprovam que as substâncias presentes no leite materno são capazes de diminuir a dor durante a vacinação e o teste do pezinho por exemplo, acalmando e distraindo o bebê. Mais potente do que qualquer vacina, sozinho pode evitar 13% das mortes de crianças com menos de 5 anos.

O sucesso na amamentação depende de fatores como a forma que o bebê deve ser ajustado confortavelmente no seio da mãe, mesmo havendo algumas dificuldades iniciais.

As primeiras mamadas são fundamentais para o bebê, já que inicialmente eles se alimentam do colostro, um líquido amarelado e com aspecto aguado que sai dos seios da mãe. Nele contém vários tipos de glóbulos brancos e grande quantidades de anticorpos, criando uma blindagem contra microorganismos e ataques por vírus.

É normal que a fome e a sede da mãe após o parto e durante a amamentação seja maior, pois para a produção de 1 litro de leite são necessárias mais ou menos 940 calorias. Por isso, manter uma alimentação balanceada, equilibrando uma variedade de pães, cereais, frutas e verduras, além de derivados do leite, se torna essencial.  

A amamentação não possui desvantagens,  pois o leite materno só oferece nutrientes para a criança crescer forte e saudável, além de aumentar e fortalecer o vínculo com a mãe.

 

Anúncios

Vacinação contra a gripe

Campanha de Vacinação contra a Gripe já começou. A dose protege contra os subtipos do vírus influenza: H1N1, H3N2 e B. Crianças a partir de 6 meses até 5 anos, gestantes e puérperas (mulheres no período de até 45 dias após o parto) podem ser imunizadas gratuitamente no SUS.

Os anticorpos da vacinação são passados da mãe para o filho por meio da placenta. As mamães que estão amamentando também fornecem a proteção necessária para os bebês através do leite materno.

Caso a mãe ou o bebê estejam com gripe aguda, febre alta, tosse forte, e secreção nasal intensa, é melhor esperar até os sintomas passarem e, aí sim, tomar a vacina.

vacinação

Atenção especial, também, para as crianças com asma que precisam ser vacinadas o quanto antes, mesmo que tenham mais de cinco anos de idade. Consulte o seu pediatra.

De acordo com o Ministério da Saúde, serão disponibilizadas 54 milhões de doses para imunizar 49,7 milhões de pessoas afim de cumprir a meta do governo de vacinar cerca de 80% do público-alvo.

Para tomar a vacina, o ideal é procurar um dos postos de vacinação espalhados pelo país com o cartão de vacinação e um documento de identificação.

No sábado, dia 9 de maio, é o Dia D de mobilização nacional, e os postos ficarão abertos para facilitar o acesso dos que não conseguem ir às unidades em dias de semana. A campanha de vacinação contra a gripe termina no dia 22 de maio.

A dose da vacina evita internações e até 75% dos óbitos. Porém, quem é alérgico à proteína do ovo não deve tomá-la. Caso você receba a vacina pela primeira vez, ela poderá provocar mal-estar, febre ou mialgia, sintomas que deverão desaparecer em até 48 horas.

 

Cuidados pós vacinação

É essencial que as vacinas do bebê estejam em dia e algumas delas devem ser feitas no primeiro ano de vida, são elas que garantem o fortalecimento da imunidade e afastam doenças graves.

Em contra partida, a vacina pode trazer certos incômodos para os pequenos, muitas vezes isso é normal, mas deve sempre ser encarado com atenção pelos pais.

como amenizar a reação das vacinas bebês nasce mother care porto alegre

Há uma técnica chamada de “5 S”, desenvolvida pelo pediatra britânico Harvey Kemp e muito popular nos Estados Unidos ela ajuda as mães a amenizarem as reações das vacinas.

São elas:

Enroladinho (Swading): envolver com uma mantinha, deixando-o bem apertadinho da mesma forma que ele estava dentro da barriga. Cuide para não pressionar a área dolorida da vacina.

De barriga para baixo (Side/stomach position): deixar o bebê deitado sobre o braço ou no colo com a barriga virada para baixo;

Balancinho (Swinging): com a criança no colo, fazer um leve balanço. No útero, o bebê estava acostumado com o sacolejo causado pela movimentação da mãe;

Chiadinho (Sushing): carregando o bebê no colo, o adulto emite um chiado tipo “shiiiii”, bem baixinho. Mesmo que façamos inconscientemente, este é um som muito próximo do que o bebê escutava na barriga da mãe, por isso, muita vezes acalma o pequeno.

Mamar para acalmar (Sucking): o ato de sugar acalma os bebês. Oferecer o peito para o bebê logo que chegar depois da vacina pode acalmar e até fazer adormecer.

Fonte: Mulher Uol < http://bit.ly/1E0LiP9>

Segundo os médicos esta técnica pode ser aplicada para outros desconfortos, não só os provocados pela vacina.

É importante observar o bebê, caso necessário ligue imediatamente para o pediatra, ele pode receitar algum antitérmicos ou analgésicos apenas no caso de febre, por exemplo.

Como organizar o seu orçamento após a chegada do bebê

Antes mesmo do bebê chegar ao mundo, os pais percebem que o tradicional orçamento familiar começa a apertar: enxoval, nobiliário do quarto, chá de bebê, consultas e exames. Para os pais de primeira viagem, essa mudança na vida pode ser ainda mais complexa. Por isso, é preciso ficar atento com as mudanças que irão ocorrer no seu bolso também após o parto. Veja os itens que você precisa ficar de olho:

1) Gastos na farmácia: na lista estão as indispensáveis fraldas, lenços umedecidos, pomadas para assaduras, algodão, xampus, antitérmicos, analgésicos e antibióticos.

2) Roupas: todas as roupinhas do enxoval não são suficientes após o nascimento. Lembre-se que o bebê irá crescer rápido e “perder” as roupas com a mesma velocidade.

3) Cuidados médicos: no primeiro ano de vida, o bebê irá precisar visitar o pediatra uma vez por mês. E se você não tiver plano de saúde, lembre-se que será necessário arcar com as consultas. Além disso, algumas vacinas essenciais não são disponibilizadas na rede pública.

4) Babá: se você optar por uma babá para ajudar nos cuidados com o bebê, especialmente após a licença-maternidade, saiba que os encargos mensais vão aumentar.

5) Emergências: tenha sempre um dinheiro extra em caso de emergência ou necessidades que fogem à regra.

E você, já está organizando o seu orçamento?

Fonte: Bebê Abril

%d blogueiros gostam disto: