Cuidados com o bebê no inverno

O inverno é uma época que exige alguns cuidados especiais ao bebê, que por ainda não possuir as defesas fortalecidas, é exposto a gripes e resfriados característicos da estação fria.

No tempo frio, é comum que a pele da criança fique mais desidratada, por isso, é importante passar creme hidratante hipoalergênico sem perfume após o banho e nos lábios, que tendem a ficar rachados, principalmente quando a saliva seca na boca, o uso de protetor labial é o mais indicado.

Os bebês menores que um ano quase só respiram pelo nariz, que é a porta de entrada para agentes infecciosos, poluição, fungos, pólen e outras partículas que andam no ar e que podem provocar alergias, e constipações, por isso, manter o nariz do bebê bem limpo e desobstruído é fundamental para prevenir problemas respiratórios, que são frequentes no inverno.

Tomar banho no inverno pode ser difícil, mas é uma higiene necessária, por isso, indicamos esquentar o banheiro antes de despir o bebê, encurtar a duração do banho para no máximo 5 minutos e com a temperatura da água perto dos 37 ºC.

Na hora de vestir a criança prefira peças interiores em algodão para deixar a pele respirar e evitar alergias, pode começar por um body e uns collants, uma camisola e um par de calças e um macacão ou casaco. Caso o bebê se mostrar mais irritado pode estar com calor, vá retirando peças até o sentir confortável.

Neste clima frio, mantenha seu bebê bem alimentado e aconchegado em lugares limpos e arejados, visando o seu bem estar e saúde para enfrentar as baixas temperaturas.  

Anúncios

Respiração na gestação

Respirar já é algo automático para nós, quase não pensamos para fazer esse processo tão importante. Porém, é necessário respirarmos de maneira correta para aliviar a ansiedade, principalmente as gestantes que estão em um momento especial de suas vidas.

Estudos vêm mostrando que a ansiedade gerada pela gravidez e a dor do trabalho de parto são amenizadas através de técnicas respiratórias.

Durante a gravidez o ideal é que a futura mamãe realize a respiração diafragmática. Por isso, muitas precisam reaprender este tipo de respiração para aproveitarem seus benefícios, que vão desde o relaxamento muscular, redução de ansiedade e alívio de dores até a melhora da oxigenação da mãe e do bebê.

A respiração diafragmática consiste na contração do diafragma ao início de cada inspiração, o ar é puxado para dentro dos pulmões e o abdome se expande. Já quando o diafragma relaxa o ar sai e o abdome volta para dentro.

 

respiração na gestanção nasce mother care

Tire uns minutos do seu dia, de preferência no período da manhã, para prestar atenção na sua respiração.

A técnica adequada para reduzir a dor durante o trabalho de parto e, ao mesmo tempo auxiliar na saída do bebê, é a seguinte:

Período de dilatação do colo uterino (pode durar cerca de 8 horas)

– Durante a fase latente (intervalo de 15 a 5 minutos entre as contrações): respiração mista lenta, com inspiração e expiração profundas, num ritmo natural. Imaginando que está “cheirando uma flor e assoprando uma vela”.

– Durante a fase ativa (intervalo menor do que 3 minutos entre as contrações): respiração torácica lenta, com inspiração e expiração profundas e longas, num ritmo natural, direcionando a respiração para a região torácica. Desta forma, o diafragma inicia a pressão para empurrar o bebê para baixo.

Período expulsivo (dura entre 30 minutos e 1 hora)

– Durante as contrações: respiração com força abdominal. Deve inspirar, prender a respiração e realizar força empurrando para baixo, como se fosse evacuar.

– Durante o intervalo entre as contrações: respiração diafragmática. Estufando a barriga, lembram?

É importantíssimo que, ainda durante a gravidez, seja realizado o treino das respirações que serão utilizadas durante o parto para que sua realização seja mais eficaz e seus benefícios possam ser, de fato, obtidos.

Fonte: Eu, ele e as crianças

 

Cuidado com a respiração de seu bebê

Desde recém-nascido, já é possível identificar problemas na respiração de seu bebê. Por exemplo, é  possível identificar, enquanto seu filho está dormindo, ainda nas primeiras semanas em casa, se ele está respirando pela boca ou pelo nariz.

Respirar pela boca é prejudicial para o bebê podendo interferir, posteriormente, no desenvolvimento da fala. Alguns interferências podem contribuir para que a respiração nasal dê lugar à respiração oral, como, por exemplo, falta de amamentação no peito, chupetas, mamadeiras, etc. Outros problemas que podem surgir é a alteração dos músculos faciais.

respiracao

Mas como ter certeza que a respiração está normal? Primeiro, coloque seu ouvido próximo à boca e ao nariz do bebê, e procure ouvir todos os sons dessa respiração. Depois, olhe com atenção o movimento de sobe e desce do corpinho do bebê. Qualquer anormalidade nesses dois testes, já é sinal para avisar o pediatra e diagnosticar se há algum problema.

Muitos pais, especialmente os de primeira viagem, verificam o quarto do bebê seguidamente para avaliar a respiração da criança. Porém, tome cuidado: muitas idas e vindas num período curto de tempo pode interferir no seu sono e no de seu bebê, ainda mais se você costuma mexer nele. Com o tempo e experiência, ficará mais tranquilizador para as mães diminuir a frequência de visitas no quarto.

Imagem via.

Escreva seu endereço de email para receber atualizações.

Junte-se a 1.177 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: