Pré-natal odontológico

Muitas gestantes não sabem, mas um pré-natal odontológico para que a saúde bucal da gestante seja mantida é fundamental, pois, a nossa  boca é uma entrada para várias doenças, e não deve ser desassociada da saúde da mãe e do bebê.

A mulher apresenta muitas alterações hormonais durante a gestação, podendo haver inflamação na gengiva e, consequentemente, sangramento, o que é muito comum entre as mamães.  

As gestantes normalmente fazem refeições mais vezes por dia, o que fará, naturalmente, que alimentos com carboidratos (açúcares) sejam mais ingeridos, podendo levar ao aparecimento de cáries, e também sofrer de azia. Nesse caso, o ácido que “volta” do estômago para a boca pode prejudicar os dentes.

As consultas com um dentista podem ocorrer em qualquer momento da gestação, mas o período mais indicado é o segundo trimestre. O terceiro trimestre da gestante não é muito indicado para tratamentos dentários, pois há um maior risco de parto prematuro e causa um desconforto maior para a paciente devido à posição deitada da cadeira odontológica.

Durante os atendimentos odontológicos, alguns cuidados devem ser tomados. As radiografias só devem ser feitas em casos indispensáveis e ao receitar medicamentos, o profissional deve ser cuidadoso, pois os componentes dos medicamentos atravessam a barreira placentária e chegam ao feto.

Caso precise fazer algum tratamento que usa anestesia, não se preocupe, existem anestesias apropriadas para grávidas, são mais seguras pois não contam com  substâncias que provocam estreitamento dos vasos sanguíneos, presentes nas anestesias comuns.

Os hábitos de higiene bucal e uma boa alimentação devem ser adotados desde antes da gravidez, pois o nível de saúde bucal da mãe tem relação com a saúde bucal da criança e ambos estão ligadas diretamente a uma boa saúde geral.

 

Anúncios

Pré-Natal Odontológico

 

Como vimos nos posts anteriores da série Pré-Natal Odontológico a saúde começa pela boca, e com a gestante não é diferente.pre-natal-odontologico Continuar lendo

Pré-Natal Odontológico

Você sabia que dentes não ficam fracos durante a gravidez?

O organismo da gestante não utiliza o cálcio dos dentes para formação do seu bebê.

Beautiful young woman with three different types of toothbrushes

O Dr. Rafael Pocztaruk explica que a necessidade de cálcio na gestante realmente dobra (para a formação do feto), e com as alterações hormonais, mudança de hábitos alimentares, algumas vezes (quando há carência de minerais), o organismo da gestante retira o cálcio e os minerais dos seus ossos para usá-los na formação dos ossos do bebê. Daí a importância de uma dieta bem equilibrada durante esta fase, rica em todos os minerais.

Fatores desfavoráveis durante a gravidez como carência nutricional, infecções e algumas medicações em excesso podem influenciar para uma má formação e mineralização dos dentes do futuro bebê.

E para suprir as necessidades do feto, a grávida deve optar por alimentos ricos em minerais como queijo, leite e peixe. Assim, uma dieta equilibrada, rica em fósforo, cálcio e vitaminas A, C e D, nutre o bebê e proporciona um desenvolvimento saudável.

Portanto, os dentes não ficam com menos cálcio, não ficam fracos, nem quebram porque a mulher está grávida.

O que geralmente acontece, como já falamos, é que a gestante muda muito seus hábitos alimentares, passa a comer mais, têm desejos inusitados de doces ou alimentos com alto teor de açúcar, entretanto a higiene bucal continua a mesma de quando não estava grávida.

Essa alteração dos hábitos alimentares, o aumento na freqüência de ingestão de alimentos cariogênicos (com alto teor de açúcares) e a deficiência na higiene bucal aliados a todos os fatores de alterações durante a gestação facilita a erosão ácida e a atividade cariogênica mais severas. Daí a impressão de que os dentes estão mais fracos.

Sangramento espontâneo ou quando passa o fio dental, dor, gengivas coçando ou inchadas, mau hálito, dentes maiores que o normal, dentes quebrando “do nada” e cáries repentinas podem ser sinais de que você tem doenças bucais e está colocando em risco a sua saúde, a do seu bebê e a do seu companheiro, já que são doenças bacterianas e as bactérias passam da sua boca para a do seu parceiro.

A gravidez não é a responsável pelo aparecimento repentino de cáries, pelas doenças periodontais e nem pela perda dos dentes. Além disso, a gravidez não impede que você cuide da sua saúde bucal caso sinta qualquer sintoma diferente do normal durante a gestação.

Problemas com os dentes e as gengivas da gestante indicam que alguma coisa não vai bem!
Se a saúde da mãe não está em perfeita condição, toda a formação do bebê estará comprometida, desde a formação óssea à dentição e paladar, desenvolvimento, até provocar o aborto ou nascimento prematuro.

Vamos cuidar da Saúde Bucal e ter uma Gestação de Saúde Integral!

Venha tirar suas dúvidas com um profissional especialista nessa área e
aprenda a cuidar da melhor forma possível
da vida que está nascendo e crescendo dentro de você!
www.doutorrafael.com.br
Saiba mais: Gestantes – Doutor Rafael

Prevenção de cárie começa na gestação

O Acompanhamento Pré-Natal tem o objetivo de assistir a gestante durante os nove meses da gestação, visando sua saúde geral e ao crescimento do bebê sem surpresas ou alterações, além da detecção e tratamento precoce de doenças, anomalias ou condições que causem danos a ambos.

pno1

Neste contexto está o Pré-Natal Odontológico, que é importante e fundamental para orientar, esclarecer dúvidas, detectar e tratar doenças ou condições bucais que possam comprometer a saúde da mãe e/ou do seu bebê

Existe isso? Doença na boca da mãe pode afetar um bebê dentro da barriga?

“Começando do começo…”, a maioria das gestantes sofre com enjoos!

Nas gestantes, as alterações hormonais, que elevam os níveis de progesterona e estrógeno, e os enjoos e vômitos freqüentes, aumentam a acidez bucal e favorecem o desenvolvimento das bactérias na boca. Assim, os dentes e toda a mucosa ficam mais vulneráveis às cáries e às infecções na gengiva e estruturas que sustentam os dentes (chamamos de periodonto).

Lembrando que estar mais vulnerável não significa que toda gestante terá à infecção, a doença. A inflamação ou infecção na boca apenas desencadeia-se na presença de placa bacteriana, independente de se estar grávida ou não.

E, para não ter a infecção, não ter a cárie, não ter as bactérias é necessário evitá-las com uma excelente Higiene Bucal e alimentação balanceada.

Portanto, vamos praticar a escovação, uso do fio-dental, bochechos e visitas periódicas ao Dentista.

Venha tirar suas dúvidas com um profissional especialista nessa área
e aprenda a cuidar da melhor forma possível da vida que está nascendo e crescendo dentro de você!
Saiba mais: http://doutorrafael.com.br/category/gestantes/

 

Escreva seu endereço de email para receber atualizações.

Junte-se a 1.177 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: