O que fazer quando a bolsa estoura

Durante a gravidez, o bebê está protegido, no útero, dentro de uma membrana, que fica cheia de líquido amniótico.

Quando a bolsa do líquido amniótico estourar, é importante manter a calma, não se desespere. O ideal a fazer é limpar-se, colocar uma roupa seca, um absorvente, ligar para o médico e ir para a maternidade, pois tudo indica que o bebê vai nascer.

Não é difícil identificar se a bolsa realmente estourou, já que a perda de água é intensa e, ao contrário da urina, a gestante não consegue controlar.

Normalmente ocorre depois do trabalho de parto ter início e somente 10% das gestantes, têm a ruptura repentina, antes mesmo de o trabalho de parto começar.


O líquido pode ser transparente ou amarelado, e vir com um pouco de sangue junto, fique atenta se este estiver escuro ou esverdeado, é preciso ir imediatamente para a maternidade, essa coloração pode indicar, por exemplo, que houve um descolamento de placenta.

A bolsa d’água, tem a função de proteger o bebê contra traumas e infecções. Depois que ela se rompe, o parto ocorre, no máximo, nas 48 horas seguintes, porém, alguns obstetras optam por induzir o nascimento com medicamentos, a fim de evitar infecções.

Se a bolsa estourar antes da 37ª semana, procure seu obstetra, que vai verificar se a bolsa rompeu e, se tiver rompido, verificar a necessidade de se adiar o parto ou fazê-lo no momento para evitar infecções ou complicações.

São as últimas semanas de gestação, a ansiedade e o nervosismo crescem, sendo importante manter a calma nesse período, prezando a saúde da mãe e do bebê, tendo sempre um acompanhamento médico.

 

Leite materno: analgésico natural

Que o leite materno é o melhor alimento pro bebê nós já sabemos, mas o que muitos não sabem é que  pode ser o analgésico mais eficiente também.

Estudos comprovam que as substâncias presentes no leite materno são capazes de diminuir a dor durante a vacinação e o teste do pezinho por exemplo, acalmando e distraindo o bebê. Mais potente do que qualquer vacina, sozinho pode evitar 13% das mortes de crianças com menos de 5 anos.

O sucesso na amamentação depende de fatores como a forma que o bebê deve ser ajustado confortavelmente no seio da mãe, mesmo havendo algumas dificuldades iniciais.

As primeiras mamadas são fundamentais para o bebê, já que inicialmente eles se alimentam do colostro, um líquido amarelado e com aspecto aguado que sai dos seios da mãe. Nele contém vários tipos de glóbulos brancos e grande quantidades de anticorpos, criando uma blindagem contra microorganismos e ataques por vírus.

É normal que a fome e a sede da mãe após o parto e durante a amamentação seja maior, pois para a produção de 1 litro de leite são necessárias mais ou menos 940 calorias. Por isso, manter uma alimentação balanceada, equilibrando uma variedade de pães, cereais, frutas e verduras, além de derivados do leite, se torna essencial.  

A amamentação não possui desvantagens,  pois o leite materno só oferece nutrientes para a criança crescer forte e saudável, além de aumentar e fortalecer o vínculo com a mãe.

 

Dilatação gestacional

Em muitos casos, é de desejo da mãe e do bebê, o parto normal. Neste caso, o pequeno se posicione com a cabeça para baixo, de modo que consiga sair pelo canal vaginal, de forma que a criança fica encaixada entre o osso da pélvis da mãe.

A dilatação é a abertura do colo do útero para proporcionar um caminho de saída para o bebê nascer de parto normal. A cérvix (cérvice ou colo do útero) é a porção inferior e estreita do útero, quando ele se une com a porção final superior da vagina, é ela que começa a dilatar e a ficar mais fina preparando-se para passagem do bebê.
De forma surpreendente, o colo do útero é capaz de abrir-se até 10 cm na fase de dilatação.

Foto: maemequer.pt

Essa abertura acontece de forma lenta e gradual através das contrações.
As contrações empurram o pequeno ainda mais para baixo no colo do útero, fazendo com que ele se dilate. É a combinação de hormônios e da pressão da cabeça do bebê que causa a dilatação gestacional.

As contrações indicam o avanço do nascimento, veja na tabela:

Contrações a cada 5 minutos Contrações a cada 3-4 minutos Contrações a cada 2-3 minutos Contrações a cada 1-2 minutos
Média de 5 cm de dilatação Média de 6 cm de dilatação Média de 8 cm de dilatação Média de 10 cm de dilatação

Fonte (tabela): gestacaobebe.com.br

A dilatação é medida em centímetros. Em exames vaginais, mede-se pelo número de dedos que cabem na abertura do colo do útero – se a ponta de um dedo encaixa, significa 1cm de dilatação, se duas pontas encaixam, há 2cm de dilatação, e assim por diante.

 

Como lavar os cabelos do bebê?

Especialmente nos primeiros meses lavar os cabelos do bebê pode causar um certo medo nas mães, porém com algumas informações não há o que temer.

É importante que você se certifique que o ambiente escolhido para dar o banho não tem correntes de vento. Pois a cabeça do pequeno é uma região de grande troca de calor, e seu filho passará frio se ficar com os cabelos molhados por muito tempo.

O melhor período do dia para o banho vai depender muito do comportamento do seu filho, alguns bebês ficam mais sonolentos após o banho, e por isso, recomenda-se um banho com lavagem dos cabelos no fim do dia.

No inverno e em dias mais fresquinhos, recomenda-se que as lavagens sejam feitas em dias alternados. Mas, se há crostas lácteas – aquelas casquinhas que descamam no couro cabeludo -, esse cuidado deve ser diário, pois a transpiração agrava o quadro.

Até o sexto mês, o duto auditivo da criança é mais reto, o que facilita a entrada de água no ouvido. Embora as principais causas de otite nessa fase estejam relacionadas a resfriados e a técnicas erradas de amamentação, é melhor não facilitar.

como-lavar-os-cabelos-do-bebe-nasce-centro-de-atendimento-a-gestante-porto-alegre
Veja algumas dicas mais pontuais para o banho:

1. Aqueça a água até atingir cerca de 36 a 37 graus.

2. Coloque o bebê na banheira e lave primeiro o rosto dele, apenas com água.

3. Apoie a cabeça da criança em uma das mãos posicionando seu dedo médio na entrada de um ouvido e o polegar no outro, para evitar a entrada de água.

4. Com a mão livre, aplique uma pequena quantidade de xampu deslizando os dedos delicadamente ao longo da cabeça.

5. Enxágue jogando água com a mão em concha, em pequenas quantidades, no sentido da testa para a nuca, sempre tomando cuidado para que não entre nenhuma gota no ouvido.

6. Termine o banho rapidamente e envolva o bebê em uma toalha, secando-o sem esfregar.

7. Depois de enxugar os cabelos, seque também a parte externa do ouvido, com um cotonete, e a parte de trás das orelhas, para evitar assaduras.

8. Dez minutos de banho é o limite para evitar o ressecamento da pele.

9. Use o sabonete líquido indicado pelo pediatra para o banho para lavar a cabeça da criança. Depois dos seis meses você pode escolher um xampu específico, prefira as fórmulas especiais para bebês, que não ardem em contato com os olhos e têm pH neutro.

 

Exames: Translucência nucal

Translucência nucal é um exame, realizado através do ultrassom morfológico. Seu principal objetivo é ajudar a detectar o risco de síndrome de Down e outras anomalias cromossômicas, além de problemas cardíacos.

Neste exame precisa ser feito entre 11 e 14 semanas de gravidez, pois a partir de 14 semanas não dá mais para fazer o exame, isso porque o espaço deixa de ser transparente na imagem do ultrassom.

Um espaço específico na nuca do bebê é medido, assim bebês que tenham alguma anomalia tendem a acumular mais líquido nessa região da nuca, por isso uma medida acima da média normal é considerada um possível indicador de algum problema.

Translucência-nucal-exame-sindrome-de-down-nasce-porto-alegre-gestante

Durante o mesmo exame, também se verifica a presença do osso nasal. A ausência desse osso pode ser mais um indicador de anormalidade.

Às vezes, o resultado da medida da translucência nucal é combinado com o resultado de um exame de sangue feito na mãe, gerando uma avaliação do risco da presença de alguma síndrome cromossômica.

Lembre-se! 

O exame de translucência nucal não é um diagnóstico, ele apenas dá indicações da possibilidade da presença de alguma síndrome ou malformação. Outras investigações serão feitas pelo seu médico com base no resultado dos exames.

Contrações de treinamento

As temidas contrações são um mau necessário para as gestantes, pois é neste momento que o útero está sendo treinado para o parto.

As contrações de treinamento são mais intensas e frequentes e começam a aparecer a partir das 20 semanas de gestação, ou próprias do trabalho de parto, a partir das 37 semanas.

Também são conhecidas como contrações de Braxton Hicks, normalmente acontecem entre 3 a 4 vezes por dia. Normalmente ocorrem quando o bebê se mexe ou chuta, assim você já sabe que precisa mudar de posição ou repousar por completo.

As contrações de treinamento duram menos de 60 segundos, não têm ritmo e não causam dor, apenas um ligeiro desconforto na região pélvica, sem se estender para as costas ou outra parte do corpo.

Alerta!

À medida que sua gravidez avança, esse tipo de contração pode ficar mais intensa, e é possível que doa.
Quando elas começarem a ficar mais fortes e frequentes, você pode achar que está entrando em trabalho de parto, mas notará que elas continuam irregulares em termos de intensidade, frequência e duração. Algumas vezes elas podem até desaparecer completamente, deixando você ainda mais preocupada.

contracoes-de-treinamento-nasce-centro-de-atendimento-a-gestate-porto-alegre

 

 

Dentro da barriga: como fazer ele mexer?

Ansiosa para sentir o seu bebê mexer? É normal a mãe, o pai, e todo mundo querer sentir o bebê ainda na barriga da mãe.

dentro-da-barriga-como-fazer-ele-mexer-nasce-porto-alegre

Essas movimentações vão acontecer com mais intensidade pela entre 15 e 18 semanas.

Esses chutes, pressões e empurrões são a maneira da mãe se assegurar que está tudo bem. Por isso, listamos algumas dicas para você estimular a comunicação com o seu filho através dos movimentos.

1. Lanchinho

Os bebês respondem aos impulsos do açúcar no sangue. Mas atenção, não é preciso comer doces. Um lanche saudável, como uma fatia de queijo, torradas com manteiga, iogurte, frutas e nozes, vão provocar o efeito desejad

2. Movimente-se

Em casa, faça alguns movimentos repentinos, como levantar rapidamente do sofá e depois sentar-se de novo. É claro, respeite a flexibilidade e agilidade do seu corpo.

3.  “Pancadinhas” na barriga ou fazer cócegas

Provavelmente já reparou que quando vai fazer a ecografia, o médico agita o aparelho em cima da barriga para conseguir ver melhor o bebé ou para o fazer mexer-se. Em casa, pode sempre fazer umas cócegas na barriga ou dar leves pancadinhas com a os dedos.

4. Apontar uma lanterna à barriga

Entre as semanas 22 e 26, o bebê consegue distinguir a luz da escuridão. Por isso, experimente apontar a luz de uma lanterna à barriga. O bebê provavelmente vai mexer-se para fugir à luz.

5. Deite-se

Muitas mães notam que quando vão para a cama, quando se deitam, o bebê começa a despertar e mexe-se com mais frequência do que durante o dia.

6. Fale com o ele

Entre as semanas 22 e 26, o bebê começa a ouvir a voz da mãe, e reage ao som alto e outros sons que acontecem à sua volta.

7. “Borboletas na barriga”

Conhece aquela sensação de “borboletas na barriga”, quando estamos entusiasmadas com alguma coisa? Se vir um filme, por exemplo, que lhe provoque essa sensação, o bebê pode mexer também.

8. Cante uma música

Cante uma música de embalar ao seu bebé ou aumente o volume da música que está a ouvir.

 

Estes são alguns truques para ele mexer, mas não esqueça que cada bebê é diferente do outro, desde a gestação, eles reagem a estímulos de formas diferentes.

 

Caso note algo diferente, consulte o seu médico.

Primeiro bebê a nascer em Porto Alegre em 2017 faz parte da história do Nasce

O primeiro bebê de 2017, em Porto Alegre, é da família Nasce!

O obstetra Gustavo Steibel ajudou os pais Vladimir e Fernanda a trazer a pequena Rafaela ao mundo.
Parabéns aos pais, ao Dr. Gustavo e a todas as futuras mamães de 2017.

Abaixo reportagem completa do jornal Correio do Povo de 01 de janeiro de 2017.

Primeiro bebê a nascer em Porto Alegre em 2017 é uma menina

O primeiro bebê de 2017 em Porto Alegre é do Hospital Moinhos de Vento. Filha do cirurgião buco maxilo facial e professor universitário Vladimir Poli, 36 anos, e da advogada Fernanda Teixeira Freire Poli, 35 anos, a pequena Rafaela nasceu às 0h41min de parto natural. Ela tem 45 centímetros e pesa 2,37 kg. O casal nem desconfiava que o nascimento ocorreria no primeiro dia do Ano Novo. Quando se preparavam para sair de casa e participar do réveillon com toda a família, os primeiros sinais surgiram em torno das 20h. “Ela começou as sentir as contrações”, recordou, acrescentando que em meia hora estavam na instituição. “Foi tudo muito rápido”, lembrou. “É uma benção nascer no dia primeiro do ano. É só alegria. É uma emoção fantástica”, disse. O réveillon deve ser comemorado quando ocorrer a alta, prevista inicialmente para esta terça-feira.

thumb

No momento da chegada de 2017, Fernanda Teixeira Freire Poli já estava em trabalho de parto. Quarenta e um minutos depois nascia Rafaela. “Comemoramos com o anestesista e o obstetra em um hospital praticamente vazio”, afirmou o pai. O parto natural foi uma escolha do casal. Vladimir Poli parabenizou o trabalho do obstetra Gustavo Steibel e também a acolhida e atendimento do Hospital Moinhos de Vento, onde integra o corpo clínico. Ele trabalha ainda no Hospital São Lucas da PUC, sendo docente também na Puc.

 Vladimir Poli pretende ensinar a filha a ter uma conduta ética, além, de princípios de honra e educação. “Ética é o que está faltando hoje em dia no país”, observou. “Estou muito feliz. É tudo muito novo. Esperava que fosse na próxima semana, mas foi agora o nosso melhor presente. Espero que ela seja muito feliz”, acrescentou Fernanda Teixeira Freire Poli, destacando que a maternidade é uma sensação indescritível. “Não sei explicar o que estou sentindo, mas é maravilhoso”, revelou a mãe, salientando que tudo mudou na sua vida ainda no período de gestação. Rafaela é o primeiro filho do casal que reside no bairro Jardim Botânico.

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Geral/2017/01/606757/Primeiro-bebe-a-nascer-em-Porto-Alegre-em-2017-e-uma-menina

Água: um hábito estimulado desde cedo

Sabemos que até os 6 meses de vida, o bebê não precisa tomar água e nenhum outro líquido, pois o leite materno possui o teor de sais minerais inferior às fórmulas lácteas, o que o torna suficiente para uma boa hidratação, sem necessidade de água adicional.

Porém, beber água é um hábito que pode ser estimulado desde cedo na vida dos pequenos, pois ela ajuda a mover os nutrientes pelo corpo, manter a temperatura corporal pelo suor e a remover as toxinas através urina.

Depois dos 6 meses, você pode dar água ao bebê quando ele estiver com sede, mas não exagere. Prefira dar alguns goles depois das refeições, principalmente se ele tiver comido papinha salgada.

A água em excesso pode acabar ocupando o lugar que deveria ser da comida no estômago.

Ao completar 1 ano, a água está liberada. O seu filho já tem uma alimentação parecida com a de um adulto, e pode tomar água o quanto quiser. Dê bastante água nos dias quentes e secos para evitar a desidratação, e também sempre que ela estiver com febre.

ingerir-agua-desde-cedo-bebe-nasce-gestante-porto-alegre

Quantidade de água:

  • 0 a 6 meses: Nenhuma. Ele tem toda a hidratação que precisa da fórmula ou do leite materno, inclusive no calor.
  • 6 a 12 meses: Dê goles de água quando seu filho estiver sede, ou colheres de chá. Não exagere, pois isso pode causar dor de barriga ou impedir que ele se alimente bem.
  • 1 a 3 anos: Ele deve ingerir em média 1,3 litros de líquidos. Isso inclui: leite, água, água de coco, sopas e etc…
  • 4 a 8 anos: De 1,2 litros de água ou bebidas. Ou seja, 5 copos mais ou menos por dia.
  • 9 a 13 anos: Meninas: 1,7 litros de água ou bebidas. Isso tá em torno de 7 copos. Já os meninos precisam de 1,9 litros, ou seja, 8 copos por dia, em média.
  • 14 a 18 anos: Meninas: 1,9 litros ou 8 copos mais ou menos e os meninos 2,6 litros ou em torno de 11 copos.

O seu filho bem hidratado tem uma melhor capacidade de concentração, mantém o peso saudável, diminui o risco de doenças crônicas, constipação e infecção urinária.

Fontes: http://brasil.babycenter.com/ e http://maeemdia.com/

Dia do Obstetra

Parabéns pelo dia dos médicos que tem a missão de trazer novas vidas, novos sorrisos, novos amores para este mundo.

dia do obstetra

Escreva seu endereço de email para receber atualizações.

Junte-se a 1.175 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: