Melasma na gravidez

Conhecido como cloasma na gravidez, o melasma gestacional é comum e atinge grande parte das gestantes, é resultante de transformações hormonais que ocorrem nesse período.

Os melasmas são manchas em tons marrons que aparecem na pele do rosto e corpo da gestante, devido às alterações hormonais ocorre um aumento da melanina, pigmento responsável por dar coloração na pele. Com isso, há a hiperpigmentação de determinada área, originando as manchas.

Em algumas mulheres, a causa do melasma pode ir além da gravidez, estando relacionado ao consumo de anticoncepcionais, reposição hormonal, genética e exposição ao sol em excesso.

O melasma na gravidez costuma surgir a partir da metade da gestação, quando os hormônios se estabilizam e devem ser analisados por um médico especialista para a certificação de que não se trata de doenças de pele mais sérias.

Preocupadas com a estética, muitas mamães questionam se o melanoma some após a gestação, principalmente as manchas faciais e, em grande parte dos casos elas somem sim, ou se tornam bem claras na pele.

Porém, há casos em que a mancha permanece e neste caso, apenas tratamentos clínicos podem ser realizados sob a pele.

Consultar o médico é sempre essencial, assim como o uso do filtro solar durante o dia a dia, que além de ajudar no tratamento do melanoma, previne inúmeras outras doenças de pele.

Anúncios

Cafeína na gestação

A cafeína é uma das substâncias mais consumidas no mundo, e ao contrário do que muitos pensam, não está presente apenas nas xícaras de café, mas nos refrigerantes de cola, nos chás, chocolates e algumas medicações.

Cerca de 95% das mulheres grávidas ingerem cafeína diariamente, seja através da alimentação ou de alguma medicação, se tornando importante considerar os efeitos que essa substância traz para mamãe e para o bebê.

Há estudos de que o consumo exagerado de cafeína pela mulher durante a gestação pode aumentar as chances de o bebê nascer antes do tempo, com baixo peso e aumenta o risco de aborto.

As futuras mamães não precisam se alarmar pensando que devem parar completamente de ingerir cafeína, pois o consumo da mesma, em doses baixas, não traz prejuízos para a gravidez e nem para o desenvolvimento do bebê. Uma mulher grávida pode consumir até 300mg de cafeína por dia, o equivalente a quatro xícaras de café solúvel (75 mg de cafeína por xícara) ou três de café fresco ou ainda 400 gramas de chocolate.

O nosso organismo leva de quatro a seis horas para eliminar os efeitos da cafeína no corpo, a mulher grávida leva 18 horas para fazer o mesmo.

A cafeína é um estimulante que aumenta o seu ritmo cardíaco e o metabolismo, o que consequentemente afeta a forma que o bebê se sente. Embora esse tipo de estímulo, constante, não seja saudável para o bebê, breves momentos não chegam a fazer mal.

O cafezinho está liberado, desde que em doses controladas, mas o ideal é sempre consultar o médico para que o consumo da cafeína não prejudique sua gravidez e o seu bebê.

Contrações de treinamento

As temidas contrações são um mau necessário para as gestantes, pois é neste momento que o útero está sendo treinado para o parto.

As contrações de treinamento são mais intensas e frequentes e começam a aparecer a partir das 20 semanas de gestação, ou próprias do trabalho de parto, a partir das 37 semanas.

Também são conhecidas como contrações de Braxton Hicks, normalmente acontecem entre 3 a 4 vezes por dia. Normalmente ocorrem quando o bebê se mexe ou chuta, assim você já sabe que precisa mudar de posição ou repousar por completo.

As contrações de treinamento duram menos de 60 segundos, não têm ritmo e não causam dor, apenas um ligeiro desconforto na região pélvica, sem se estender para as costas ou outra parte do corpo.

Alerta!

À medida que sua gravidez avança, esse tipo de contração pode ficar mais intensa, e é possível que doa.
Quando elas começarem a ficar mais fortes e frequentes, você pode achar que está entrando em trabalho de parto, mas notará que elas continuam irregulares em termos de intensidade, frequência e duração. Algumas vezes elas podem até desaparecer completamente, deixando você ainda mais preocupada.

contracoes-de-treinamento-nasce-centro-de-atendimento-a-gestate-porto-alegre

 

 

Água: um hábito estimulado desde cedo

Sabemos que até os 6 meses de vida, o bebê não precisa tomar água e nenhum outro líquido, pois o leite materno possui o teor de sais minerais inferior às fórmulas lácteas, o que o torna suficiente para uma boa hidratação, sem necessidade de água adicional.

Porém, beber água é um hábito que pode ser estimulado desde cedo na vida dos pequenos, pois ela ajuda a mover os nutrientes pelo corpo, manter a temperatura corporal pelo suor e a remover as toxinas através urina.

Depois dos 6 meses, você pode dar água ao bebê quando ele estiver com sede, mas não exagere. Prefira dar alguns goles depois das refeições, principalmente se ele tiver comido papinha salgada.

A água em excesso pode acabar ocupando o lugar que deveria ser da comida no estômago.

Ao completar 1 ano, a água está liberada. O seu filho já tem uma alimentação parecida com a de um adulto, e pode tomar água o quanto quiser. Dê bastante água nos dias quentes e secos para evitar a desidratação, e também sempre que ela estiver com febre.

ingerir-agua-desde-cedo-bebe-nasce-gestante-porto-alegre

Quantidade de água:

  • 0 a 6 meses: Nenhuma. Ele tem toda a hidratação que precisa da fórmula ou do leite materno, inclusive no calor.
  • 6 a 12 meses: Dê goles de água quando seu filho estiver sede, ou colheres de chá. Não exagere, pois isso pode causar dor de barriga ou impedir que ele se alimente bem.
  • 1 a 3 anos: Ele deve ingerir em média 1,3 litros de líquidos. Isso inclui: leite, água, água de coco, sopas e etc…
  • 4 a 8 anos: De 1,2 litros de água ou bebidas. Ou seja, 5 copos mais ou menos por dia.
  • 9 a 13 anos: Meninas: 1,7 litros de água ou bebidas. Isso tá em torno de 7 copos. Já os meninos precisam de 1,9 litros, ou seja, 8 copos por dia, em média.
  • 14 a 18 anos: Meninas: 1,9 litros ou 8 copos mais ou menos e os meninos 2,6 litros ou em torno de 11 copos.

O seu filho bem hidratado tem uma melhor capacidade de concentração, mantém o peso saudável, diminui o risco de doenças crônicas, constipação e infecção urinária.

Fontes: http://brasil.babycenter.com/ e http://maeemdia.com/

Agenda Nasce | Dezembro 2016

No dia 10 de dezembro esperamos as futuras mães e pais para dois workshop cheios de amor e cuidados. Em ambos você vai conseguir diminuir a sua ansiedade da espera e se preparar melhor para esse grande encontro.

agenda-dez

Quando?

10 de dezembro de 2016

O que?

9h – Workshop Cuidados com o recém-nascido

Este workshop oportuniza aos futuros pais e mães adaptarem-se aos seus novos papéis, receberem e revisarem informações acerca da experiência do nascimento e cuidados com o bebê, tornando-os mais confiantes em suas habilidades como pais e melhor sintonizados com as necessidades desse novo ser.

Temas abordados:

  • Cuidados imediatos ao nascimento (sala de parto)
  • Acolhendo e compreendendo as necessidades do bebê
  • Aprendendo na Prática: higiene e conforto (banho, troca de fraldas e cuidados com o coto umbilical)

14h – Workshop de Shantala

Com a fisioterapeuta Ana Carolina Müller, a Shantala será apresentada para as mães e pais como mais uma técnica para conectar mãe e bebê (ou pai e bebê), através do toque que transmite confiança, carinho e força para o pequeno que está descobrindo o mundo.

Como?

Inscrições e mais informações pelo telefone: (51) 3334 4503.

Onde?

Nasce Centro de Atendimento à Gestante – Rua Gustavo Schmitt, 580, Três Figueiras – Porto Alegre/RS

Fraldas na praia e na piscina

A nossa primavera já está bem quente e o verão está a caminho, para se refrescar os pequenos são apresentados a piscina e a praia. Para manter a higiene e a saúde do seu bebê não corra o risco tirando a fralda dele nesses lugares.

Em uma pesquisa feita no site CRESCER, 52% dos pais levaram as crianças a praia quando a criança tinha entre 6 meses e 1 ano; 30% entre 1 e 2 anos. Segundo os especialistas, a primeira ida à praia pode acontecer a partir dos 6 meses. No entanto, é preciso cuidados com a pele, alimentação e higiene da criança.
Fonte: http://revistacrescer.globo.com/

fraldas-na-praia-e-na-piscina-blog-nasce-centro-de-atendimento-a-gestante-porto-alegre

Crianças que ainda não tiraram a fralda devem usar as fraldas próprios para água quando forem nadar em piscinas ou praias. O objetivo aqui, além de zelar pela higiene, é evitar acidentes constrangedores. Afinal, piscina e praia são locais compartilhados por várias pessoas e a fralda retém tanto o xixi quanto o cocô.

As fraldas para usar na água são melhores nessa situação pois elas não encharcam. Fraldas normais logo se enchem de água e perdem sua capacidade de absorver o xixi. Além disso, ao ficarem volumosas e pesadas,dificultando os movimentos do bebê.

Este modelo foi projetada com uma camada externa impermeável e as bordas elásticas justas, bloqueando assim a passagem da água de fora para dentro e evitando que a fralda encharque. Assim, a camada absorvente da parte interna da fralda consegue reter o cocô e o xixi.

Cuidado com a areia

A areia é foco de agentes que podem causar infecções nas partes íntimas do bebê, principalmente nas meninas. Por isso, deixe o seu filho brincar na areia com fralda e shorts. Na hora de trocar a fralda, faça a limpeza com água doce e algodão, suavemente. Se a quantidade de areia no corpo do bebê for muito grande, é importante lavá-la com água em abundância. Evite usar lenços umedecidos ou fraldas de algodão para fazer a limpeza, pois esses itens criam atrito com a pele e podem machucá-la com as pedrinhas de areia.

Fonte de pesquisa: http://bebe.abril.com.br/familia/praia-e-piscina-qual-a-fralda-mais-apropriada-para-esses-lugares/

Nova profissional – Psicóloga Alessia Carpes

Para um casal, a decisão de ter um filho surge repleta de expectativas.

A gravidez e o nascimento do bebê são momentos de mudança na vida da família.

Alterações físicas e emocionais são esperadas e geram dúvidas e ansiedades aos futuros pais. Em alguns casos, as alterações podem modificar o desenvolvimento normal da gestação ou do bebê deixando o casal mais vulnerável emocionalmente.

Nestas situações, o acompanhamento psicológico se torna fundamental para reconhecer e compreender os sentimentos que daí surgem, bem como proporcionar um adequado processo de adaptação e elaboração.

O Nasce conta com a Psicóloga Alessia Carpes, com ampla experiência clínica no atendimento a gestantes e puéperas, a qual desenvolve um trabalho de acompanhamento frente aos aspectos normais e patológicos que possam ocorrer no período.

Alguns deles:

-Infertilidade;

-Alterações esperadas e inesperadas na gestação;

-Malformação fetal;

-Óbito fetal;

-Conflitos emocionais relacionados ao período gestacional;

-Dificuldades individuais e do casal de adaptação à gravidez;

-Gestação na adolescência;

-Gestação tardia;

-Depressão pós-parto;

-Adaptação ao puerpério, entre outros.

nova-profissional

A equipe do Nasce dá boas vinda a doutora e deseja um ótimo trabalho junto as nossas queridas pacientes.

 

Curso de Gestante – Novembro 2015

No dia 28.11 você está convidada para mais uma edição do nosso querido Curso de Gestante.

Confira o cronograma do curso:

9h – Entrando no mundo das gestantes – Com Denise Steibel

10h – Nutrição da gestante – Com Betina Ettrich

11h – Shantala – Com Ana Carolina Muller

12h a 13h30 – Intervalo

13h30 – Amamentação – Com Daniela Marchiori e Flávia Dotto, do Amamenta

15h – Cuidados com o Recém Nascido – Com Lisiane Quaresma

Quando?

28 de novembro de 2015

9h às 17h (com intervalo das 12h às 13h30)

Como?

Pelo telefone 51-3334-4503

Onde?

Nasce Centro de Atendimento à Gestante

Rua Gustavo Schmitt, 580, Três Figueiras, Porto Alegre.

Mudança de eixo da gestante

A mudança de eixo das gestantes é algo comum e que pode passar despercebida perante todas as transformações no seu corpo.

O aumento das mamas,do útero e da barriga ocasionam a projeção do abdômen para frente e o andar com as pernas abertas, uma postura inadequada que pode provocar, em alguns casos, dores fortes e até quedas. Isso acontece porque o centro de gravidade da mulher é deslocado, alterando seu equilíbrio.

Esta má postura, na tentativa de se manter ereta, pode permanecer após o parto. Sentir algumas dores, cansaço e até dificuldade em realizar alguns movimentos são consequência dessa nova busca pelo seu eixo normal.

BLOG NASCE mudança de eixo

Para que o seu eixo não seja modificado de forma brusca, o ideal é que a mãe tenha um acompanhamento físico, com exercícios regulares. Pois é necessário preparar a musculatura responsável pela sustentação da coluna, assim como trabalhar as funções cardiorrespiratórias e manter a flexibilidade muscular, preparando o corpo para o parto.

Os benefícios da prática de exercícios físicos com periodicidade são notados também no pós-parto, onde a flacidez e as dores são menores, assim como a recuperação mais rápida.

Escreva seu endereço de email para receber atualizações.

Junte-se a 1.185 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: