Intolerâncias e alergias na gestação

A mulher na gestação tende a ficar mais sensível e, por isso, algumas alergias ou intolerâncias podem acontecer.

O Dr. Thomas Moscovitz, Doutor pela Faculdade de Medicina da USP escreveu um texto sobre isso. Veja alguns trechos:

“A alergia é uma reação rápida, por vezes grave, levando à anafilaxia (reação alérgica sistêmica, severa e rápida a uma determinada substância). Já a intolerância é uma reação mais lenta, ocorrendo após horas ou dias de ingestão repetida de determinado alimento. Esses efeitos são mediados tanto por células quanto anticorpos.”

É importante que a gestante esteja sempre atenta às possíveis reações do seu corpo, uma avaliação diária de como os alimentos se comportam no seu organismo depois de ingeridos deve ser uma tarefa adicionado a sua rotina.

“Os sintomas de intolerância mais comuns são os mesmos de diversas outras patologias, o que, muitas vezes, dificulta seu diagnóstico: diarreia, distensão abdominal, problemas de desenvolvimento nas crianças, vômitos, inapetência, dermatites e outros, com consequente anemia, osteoporose, níveis baixos de cálcio, etc.

Já a alergia, causa lesões na pele, coceira intensa, inflamação alérgica na mucosa do nariz e até mesmo conjuntivite. Alguns fatores podem contribuir para a alergia alimentar. São eles: desmame precoce, introdução precoce de alimentos alergênicos, frequência e consumo dos alimentos, monotonia alimentar, deficiência de fibras nutrientes, hábito alimentar, medicamentos que interfiram com o funcionamento do trato gastrointestinal e com a biodisponibilidade de alimentos.

Os alimentos potencialmente mais “alergênicos” são: o leite de vaca, amendoim, soja, trigo, ovo, frutas cítricas, como laranja e limão, peixes e frutos do mar.”

alergias e intolerância nasce mother care

 

Se eu tenho alergia ou intolerância o meu bebê também terá?

“A gestante que apresenta alergia e que durante a gestação, ou na fase de amamentação, continua consumindo grandes quantidades do alimento alergênico tem grande probabilidade de passar essa informação para o bebê, e ele terá mais chances de desenvolver a alergia, mesmo sem estar diretamente consumindo algum tipo de alérgeno.

Alguns estudos têm evidenciado que 50% dos pacientes com alergia alimentar possuem história familiar da patologia, além do que as alergias podem aparecer em qualquer idade. Nos bebês ela é facilmente diagnosticada e mais comum, pois o sistema imunológico da criança ainda não está completamente formado e, então, seu organismo não consegue “lidar” bem com certos alimentos, pois ela não consegue fazer a digestão adequada de muitos deles.”

Lembre-se que o seu médico é a melhor pessoa para te ajudar em qualquer anomalia, ele irá direcioná-la para um profissional especializado, caso seja necessário.

Fonte: Universo Jatobá <>

Anúncios

O que você acha disso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: